Completam-se Este ano os 100 anos da mal chamada gripe espanhola de 1918. Ele tem sido chamado de dentro de vírus da gripe ‘a mãe de todas as pandemias’ porque foi, provavelmente, a primeira grande pandemia de gripe conhecida e muitos dos vírus que já se estenderam ao longo do século XX têm relação com este. Aqui vamos conhecer os 12 dados que a caracterizam:


1.- “A origem não é clara, parece ser a de que poderia ser um vírus, provavelmente, de aves, que anos antes foi recombinando em mamíferos, em suínos e humanos, e surgiu este que se caracterizou pela sua alta mortalidade: 3% da população mundial (50 milhões de pessoas), e em Portugal cerca de 200 000″, diz em uma entrevista com Infosalus o doutor em Biologia e Professor de Microbiologia da Universidade de Navarra, Ignacio López-Goñi, quem precisa que a gripe normal em um ano podem morrer em torno de 400 pessoas atualmente.


2.- O mais intenso foram os meses de outubro e novembro, com um pico de mortalidade mundial. Em 1918, superaram as mortes, aos nascimentos e é por isso que há mais mortes que durante a Primeira ou a Segunda Guerra Mundial, e em menos tempo se concentram mais mortos do que com Aids em 25 anos.


3.- López-Goñi indica que este vírus não é que fosse especialmente virulento, mas sim produziu a favor do sistema imune, o que levou a uma destruição de tecidos respiratórios. “A maior parte morreu por complicações bacterianas posteriores. Em 1918, ainda não havia antibióticos”, lembra o especialista.


4.- As condições de guerra, o fluxo massivo de tropas nas trincheiras, o frio, foram o melhor cenário para que o vírus se propagase.


5.- Na sua opinião, não pode voltar a ocorrer uma pandemia como a de então. “Em troca, sim pode aparecer um vírus pandémico como aquele, mas que tenha as consequências de 1918, não porque as condições são diferentes. Agora as pessoas estão mais saudáveis, e comem melhor, além disso, existem antibióticos que não há nada contra o vírus, mas podem atuar em doenças bacterianas secundárias. Depois, contamos com vacinas que geram imunidade na população, além de antivirais. Embora possa haver pandemia de gripe não se chegou a esses números”, precisa.


6.- Enquanto isso, Victor Briones, professor de Saúde Animal e pesquisador do Centro de pesquisa de Vigilância Sanitária Veterinária (VISAVET), da Universidade Complutense de Madrid, precisa que houve três ondas epidémicas, “mas potente e que matou muita gente” foi no outono, embora a primeira teve lugar no final da primavera. “Até há dúvidas de que, com antecedência, em 1917 tivesse algum episódio que não se difundiu tão fortemente. E uma terceira onda, em 1919, e de menor intensidade”, apostila.


7. “Não é uma gripe unicamente espanhola. Teve lugar em todo o mundo. A classificação é derivada do fato de que, durante a Primeira Guerra Mundial, os países em guerra estavam sujeitos à censura, que não queriam fornecer dados sobre a perda de civis e de suas tropas, por isso, os jornais espanhóis se refletiram notícias, com precaução, mas não com tanta proibição, como a dos países beligerantes”, explica Costa.


8.- Parece que recentemente tem havido acesso a amostras de cadáveres na área do permafrost norueguês e foi possível caracterizar o vírus. “É aparentemente de origem aviária, provém das aves, e adaptou-se às pessoas de forma especial e singular, já que até então não conheciam o contágio de pessoa a pessoa do vírus influenza. Teve a capacidade de se transmitir de forma natural e em massa entre as pessoas, no tecido pulmonar, de tal forma que as s ou espirros levavam uma grande carga viral”, indica o especialista da UCM.


8.- Outra característica é que este vírus apresenta uma “particularidade estranha”: “o mecanismo patogênico dos vírus influenza intervém a ‘sensação de frio’ (uma proteína que usa o vírus de penetrar nas células do hospedeiro) e que precisa de outra para poder agir em a maioria de casos, e aqui o vírus se bastava por si mesmo”.


9.- Além da pandemia de gripe de 1918, houve outra em 1957, que gerou também milhões de mortos, e outra em 68, que também reuniu milhões de mortos, embora menos, mas derivados do vírus de 1918.


10.- O vírus influenza, a gripe é muito moldável, você pode facilmente mudar. Tem o genoma dividido em oito segmentos que podem realinhar entre eles. Por isso, podem-se gerar constantemente variantes do vírus, mesmo novos vírus, e cada um deles podem ter propriedades biológicas diferentes, como ser muito transmissíveis ou patogênicos, o que é difícil de combater em algumas ocasiões.


11.- “O vírus influenza de origem aviária tem como habitat natural o trato digestivo das aves. Trata-Se de uma das razões por que os veterinários prestam muita atenção a estes vírus”, diz Costa.


12.- Tal como nos casos recentes, a aquisição da doença das pessoas através das aves é por aerossóis contaminados (partículas de pó no ar, por exemplo). Se pode aspirar, por exemplo, o pessoal que atende os animais nas fazendas, ou por pessoas que, em seguida, as pescam em açougues.

12 dados que o mesmo não sabia
Rate this post