Normalmente, a compra é uma obrigação que temos que fazer para poder comer. Muitas vezes, é algo chato do que fazemos depressa, empurrando um carrinho e enchendo-o com produtos divertidos, que às vezes nem precisamos. Ou seja, muitas vezes, compramos de forma irracional, empurrados pelos desejos do momento, de forma automática, e o mais rapidamente possível.


Assim, lamenta a bióloga e nutricionista Federica Trombetta em uma entrevista com Infosalus, por ocasião da publicação de seu livro ‘Poker a dieta’ (Desclée de Brouwer), um manual sobre o que levanta a começar a dieta como uma partida de poker e onde fazer compras é uma parte fundamental.


“É muito importante se organizar a compra previamente. Representa o primeiro passo, o que vamos comer, e se eu vou fazer a compra sem organização, e, por exemplo, com fome, é provável que compre alimentos que não vão me apoiar na minha dieta, especialmente se eu estou acima do peso e quero começar a cuidar de forma diferente”, alerta a doutora em Ciências Médico-Forenses e coach profissional.


Assim, defende que a organização da compra representa também uma primeira oportunidade para que a pessoa que está em dieta projete quais podem ser os menus saudáveis que vai a seguir.


“Sabendo que eu preciso eu faço uma lista eficaz e fazer a compra de forma diferente. Bem sei os alimentos que vou comprar e como eu vou usar e me fixo muito no que a pessoa tome consciência de que os melhores alimentos que você pode comprar não são os pré-cozinhados, já que não nos apoiam em cuidar de nossa saúde , nem na perda de peso”, diz Trombetta.


Assim, sustenta que há que centrar a compra principalmente em frutas, verduras, os cereais, e sugere ser criativo e tentar inovar com novas receitas saudáveis, para ser fundamentada na hora de perder peso. Com isso, a especialista em nutrição revela as suas 4 truques para fazer do momento da compra de um aliado em nossa dieta:


1.- Não tenha inimigos em casa: “Evita comprar e ter em casa tudo aquilo que ainda não sabe gerir. Se você sabe que ter na despensa uma caixa de biscoitos de chocolate vai ser uma constante tentação para você, então não compre. Se você tem um capricho pontual de algo doce e realmente quer satisfazê-lo, fá-lo bem: celébralo”.


2.- Faça pequenas compras, mas mais frequentes, Muitas vezes tendemos a fazer uma única compra mensal para poupar tempo e acabamos comprando uma enorme quantidade de produtos enlatados (que têm muita quantidade de sal e conservantes), de produtos processados (comida pre-cooked, latas), e menos produtos frescos e de melhor qualidade (frutas, legumes, cereais integrais, legumes e produtos frescos). Além disso, não se estimula a experimentar receitas novas, descobrir novos sabores e sair da minha zona de conforto.


3.- Tem uma lista: Para poder comprar de forma diferente leva contíguo a uma lista. “Não me refiro apenas a uma lista de tudo aquilo que te faça falta. Antes de ir comprar planifícate mentalmente alguns menus saudáveis, ricos e saborosos para sua semana. Em Busca de novas receitas que lhe inspirem. Saiba mais sobre as propriedades de cada alimento e transforme-se em um especialista. Quando tiver os menus aponta o que precisa para prepará-los”.


4.- Olha as tags. Em sua opinião, aprender a ler os rótulos também é muito importante na hora de organizar a compra, porque você tem que saber que tipo de alimento que está comprando e se você nos apoia ou nos afastar de nosso objetivo, que é perder peso.


“Vou Te dar um exemplo: na hora de comprar produtos integrais não todo mundo sabe que a maioria deles não são de verdade. Com isso quero dizer que não são feitos com farinha integral, mas com farinha branca, à qual foi acrescentado um punhado de farelo. Então não estou a comprar macarrão ou pão integral de verdade, mas algo feito com farinha branca e refinada”, adverte a especialista.